Uso da web como ferramenta para promoção de peso saudável em adultos com sobrepeso e obesidade

Resumo

Segundo dados de 2016 do Vigitel, inquérito epidemiológico realizado por amostragem de habitantes das capitais dos 26 estados do Brasil e do Distrito Federal por via telefônica, a prevalência de obesidade, definida por índice de massa corporal (IMC) ≥30 kg/m2 , é de aproximadamente 20% entre adultos com 18 anos ou mais. A existência de um “ambiente obesogênico”, propício ao ganho de peso por favorecer hábitos de vida que levam ao desbalanço entre ingestão calórica e gasto energético, é apontado como principal fator para o aumento da prevalência de obesidade no mundo. Este aumento se associa a aumento de risco de doenças cardiovasculares, metabólicas e neoplásicas, à piora de qualidade de vida e aumento da mortalidade. Consequentemente, gera custos excessivos para a saúde pública. Dessa forma, o Ministério da Saúde, desde 2013, definiu o tema como prioritário em suas ações. Adicionalmente, definiu a meta de estabilização da incidência da obesidade e da melhora de indicadores de hábitos saudáveis de dieta e atividade física até o ano de 2019.

Para esse fim, a internet, cujo acesso domiciliar atinge 66% da população brasileira, pode constituir importante instrumento. Acessibilidade em áreas remotas, disponibilidade em qualquer horário e a grande número de indivíduos simultaneamente, confidencialidade e, potencialmente, menor custo em relação a métodos tradicionais são algumas das características que fazem das intervenções via internet particularmente atrativas para promoção de hábitos de vida. No entanto, a eficácia dessas intervenções em relação a métodos tradicionais ainda precisa ser investigada.

Desse modo, propõe-se realizar estudo randomizado controlado em que estudantes e funcionários da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) que tenham IMC >=25 kg/m2 e intenção de perder peso serão alocados aleatoriamente a um de três grupos: (1) acesso à plataforma online, (2) acesso à plataforma online com acompanhamento individualizado de nutricionista através da própria plataforma, (3) grupo controle que receberá orientações por meios tradicionais, como reuniões, vídeos e livreto educativo. A plataforma online se utilizará de ferramentas de automonitorização de peso e de hábitos, como diários alimentares e contadores de calorias, textos com orientações em linguagem acessível, mensagens individuais e gerais, técnicas de gamificação (desafios) e suporte social via fóruns e chats para promover orientações sobre dieta, atividade física, outros hábitos de vida e terapias comportamentais que auxiliam na perda de peso. Tais recomendações são baseadas em evidências científicas e aplicadas à realidade brasileira. A 3 intervenção terá duração de 12 semanas e serão avaliados, em três e seis meses, os seguintes resultados: variação de perda de peso, como desfecho primário, e variações no IMC, no consumo calórico total, no número de porções diárias de frutas e vegetais e de bebidas adoçadas e no tempo de exercício físico semanal, como desfechos secundários. A hipótese a ser testada é de que o uso da plataforma online, independentemente do acompanhamento individualizado por nutricionista, auxilia na perda de peso de forma superior às técnicas mais tradicionais utilizadas no grupo controle.

Financiador

IATS – Instituto de Avaliação de Tecnologia em Saúde

Participantes

Outros Participantes

André Queiroz de Andrade
Leonardo Andrade
Maria de Fátima Haueisen Sander Diniz
Natacha Marcielle Vasconcelos
Roberta Sonia Alvares

EnglishPortuguese
Olá, sou Ana. Em que posso ajudar?
Chat Coronavirus