Projeto PROVAR recebe prêmio no 75º Congresso da Sociedade Brasileira de Cardiologia


25.11.2020

Entre os dias 20 e 22 de novembro de 2020, ocorreu o 75º Congresso da Sociedade Brasileira de Cardiologia, desta vez virtual devido à epidemia de COVID-19. Nesse evento, o projeto de pesquisa PROVAR+ (Programa de Rastreamento da Valvopatia Reumática e Outras Doenças Cardiovasculares), sediado no Centro de Telessaúde do HC-UFMG, teve 7 temas livres aceitos para publicação, sendo 2 deles como finalistas dos prêmios Melhor Tema Livre Oral, categoria Jovem Pesquisador e o principal prêmio do congresso, Melhor Tema Livre Oral, categoria Pesquisador Sênior. Os trabalhos foram apresentados pelos acadêmicos do projeto (Frederico Macedo, Juliana Oliveira, Domingos Sávio Ferreira-Filho, Clara Fraga, Rodrigo Rocha e Marcelo Nogueira), além da ex-acadêmica e recém-mestre do projeto, Júlia Tormin. 

Ao final do evento, o PROVAR+ foi premiado com o maior prêmio do congresso (Pesquisador Sênior), com o trabalho intitulado “DEEP LEARNING PARA IDENTIFICAÇÃO AUTOMÁTICA DE CARDIOPATIA REUMÁTICA LATENTE EM IMAGENS DE RASTREAMENTO ECOCARDIOGRÁFICO: DADOS DO ESTUDO PROVAR-ATMOSPHERE”, apresentado pelo acadêmico Frederico Macedo, uma parceria entre o HC-UFMG, o Departamento de Ciência da Computação da UFMG e o Chindren’s National Health System, de Washington, DC, EUA. Nesse estudo, foram apresentados os resultados de um sistema de aprendizado por máquina para detecção por inteligência artificial de Cardiopatia Reumática subclínica em ecocardiogramas de crianças e adolescentes, como uma estratégia de aumentar a abrangência e disponibilidade do rastreamento ecocardiográfico em regiões de baixa renda, com limitação de profissionais. A acurácia do sistema foi superior a 72% e novas etapas do estudo estão em andamento para aprimoramento, com dados do Brasil e da África. Além disso, o tema livre “POLIMORFISMOS FUNCIONAIS DE GENES DE CITOCINAS E SUA EXPRESSÃO FENOTÍPICA DISCRIMINAM PACIENTES COM CARDIOPATIA REUMÁTICA LATENTE E CLÍNICA: DADOS DO ESTUDO PROVAR+”, produto da dissertação de mestrado da Dra. Júlia Tormin, ficou em 2º lugar na categoria Jovem Pesquisador, demonstrando polimorfismos genéticos e expressões de citocinas associados à progressão da Cardiopatia Reumática e diferenciando as suas formas clínica (mais grave) e subclínica (inicial). A premiação de um projeto em 2 categorias foi um feito de enorme importância para o projeto PROVAR+ e para a UFMG, e um estímulo para a continuidade e expansão dessa linha de pesquisa.

Professores envolvidos nos estudos premiados: Brasil – Bruno Ramos Nascimento (Diretor), Antonio Luiz Pinho Ribeiro (Coordenador Sênior), Maria do Carmo Nunes (Ecocardiografia), Wagner Meira, Erickson Nascimento e Gisele Pappa (Departamento de Ciência da Computação), Walderez Dutra (Instituto de Ciências Biológicas). EUA – Craig Sable e Andrea Beaton (Children’s National Health System e Cincinnati Children’s Hospital Medical Center).

EnglishPortuguese
Olá, sou Ana. Em que posso ajudar?
Chat Coronavirus